F.R.I.E.N.D.S

Uma das melhores e mais memoráveis séries de todos os tempos. Pra mim é e sempre será.
Rachel, Monica, Phoebe, Joey, Chandler e Ross foram meus amigos. 
Assisti como se eu estivesse lá em Nova York, em Las Vegas e em Londres com eles. 
Há tempo que não me emociono com um seriado, filme ou série, e agora, no último episódio - como vou seguir sem eles?? - chorei algumas vezes... sabendo que é uma despedida.
E eu não sou boa nisso. 
Não chorei porque é uma série tão "bobinha" entre 6 melhores amigos no cotidiano dos anos 90. Por esse motivo eu ri muito. Cada sacadinha besta, mas engraçada... 
Chorei - concluindo sobre o choro, porque agora deu, né! - porque despedidas doem pra ca-ce-te. 
O último episódio tem a mudança da Monica e do Chandler com os gêmeos pra casa nova, e a entrega das 6 chaves do apartamento é de cortar o coração. 
Enfim, é a vida...
Com um roteiro simples, contendo escola, sonhos, profissão, personalidades diferentes, família, amizade, relacionamentos, paixões, casamentos, divórcios, filhos, cafés, jantares, drinks, encontros, desencontros e mortes.
Foram 10 anos! 10 temporadas, 236 episódios. O primeiro foi em 1994 e o último em 2004. Que bela trajetória.
Assisti alguns poucos há um bom tempo atrás,  e agora, desde o início, episódio após episódio, assisti todos. Ou melhor, t.o.d.o.s.
Bom demais. 
E chega ao fim.
Dá licença que vou chorar mais um pouquinho. Não sei lidar bem com despedidas.
I'll be there for you.

*Jeanine de Moraes

[ ... ]

Quando era criança, um dos meus passatempos era olhar para as nuvens e ver imagens nelas.
Ursos, carros, rostos, montanhas...
Uma imensidão acima de mim.
Com o passar do tempo as nuvens passaram a estar cada vez mais distantes... mal as percebia.
Encontro-me, por vezes, em meio a uma nuvem cinzenta... como se eu estivesse nela... onde nada é palpável...
Visão torpe. 
Estou vendo ou enxergando?
Tempestade que não passa. Seria eu a dona do tempo? 
Que essa nuvem esteja carregada de muita chuva, que venha como uma enxurrada, lavando tudo...
Por trás dessa nuvem tem um céu lindo, um sol quente...
... cadê meu pote de ouro além do arco-íris?


*Jeanine de Moraes

[ RESGATE DA FÉ ]

Que o temporal leve todas
as energias ruins e as suas sombras encontrem a luz.
Que as dores sirvam para tornar-me mais forte e, além de fortalecer meus pensamentos, 
não endureçam meu coração. 
Que a chuva lave meu corpo e alma, que o vento me incomode até eu poder perceber, e merecer, a leveza de uma suave brisa.
Reze. Relaxe.
Releve e seja leve.

*Jeanine de Moraes

#devaneando

"Sou como a pipoca.
Uma piruá que precisa do óleo quente, queimando, ardente, para transformar-me.
E como. Devoro-te."

*Jeanine de Moraes

#devaneando

A gente muda.
O tempo passa.
Mudamos por fora. Mudamos por dentro.
Ontem ficou apenas nas recordações, e o amanhã... ah, o amanhã...
Mudanças acontecem independente de querermos ou não. Já a essência, essa nunca!
Muda ou falante.
Mudo eu ou o mundo muda.

* Jeanine de Moraes

OBRIGADA, DE NADA.


O assunto é sério e exige muito respeito.
É, e não é, da sua conta.
É da sua conta se você tem passado por qualquer tipo de situação, seja preconceituosa, constrangedora ou pior, de ignorância.
Não vou falar de crise, seja política, ou financeira, não vou falar de esporte, não vou falar sobre os benefícios de uma alimentação saudável e, muito menos, do Despacito e suas paródias.
Sério agora, precisamos urgentemente de respeito.
Chega de brincadeiras. Chega de homofobia, lesbofobia, gordofobia ou qualquer preconceito de classe, cor, crença ou gênero.
Estamos em 2017 e não 1917.
Precisamos falar de respeito, independente se você é ativo, passivo ou relativo, gordo, magro ou sarado, se prefere o azul do que o rosa, preto ou branco, ou se troca nudes.
Somos todos humanos!
Não é moda! Não é doença! Não há nada de errado!
Por que a sexualidade de uma pessoa te incomoda?
Debochar, humilhar, repreender alguém "fora do padrão" torna-o melhor ou pior?
Quer dizer que trair o cônjuge, ter relações extra-conjugais pode, porém amar alguém do mesmo sexo é vulgar, é nojento? Quanta hipocrisia.
Já está mais do que na hora de pensar e, urgentemente, respeitar.
Igualdade, liberdade, respeito e mais amor, por favor!
Baleia, neguinho, putão, machorra... chega de "brincadeirinhas" humilhantes! Tem alguém rindo? Sério!?
Heterossexual, gay, lésbica, bissexual, transsexual... não são rótulos!
Respeito e educação. Ninguém é obrigado a aceitar, porém respeitar, sim.
O mundo precisa de afeto, de relações amorosas. Esse é o princípio do respeito.
Já dizia a canção dos Beatles "all we need is love".
Obrigada. De nada.


*Jeanine de Moraes

LET'S PLAY?

O que te impulsiona?
Ter um sonho ou viver um pesadelo?
Utopia é ter uma família acolhedora, que apoie, viva embasada em bons princípios, dê segurança emocional, tanto quanto financeira?
Seria utópico? Posso eu construir minha base?
A vida pode ser, e é, tão cruel que, a vontade de ser poste invade meus pensamentos diversas vezes.
Estátua também é bacana.
Se são os sonhos que movem o mundo, realiza-los seria uma explosão.
E quando não há sonhos?
Quando se perde toda aquela vontade de viver?
Que pecado! Que mal-agradecido!
Fácil é julgar, difícil é, de fato, sentir ou colocar-se no lugar do outro.
A vida tem seus altos e baixos. É assim que funciona essa montanha-russa.
Entretanto, têm baixos que ¨pelamooor”, são de beijar, pra não dizer lamber, o chão.
E dar a volta, deixando a tendência do vitimismo, não é fácil.
Mas, cabe aqui a célebre frase clichê: nada como um dia após o outro.
E um belo dia você se dá conta e - clapt! clapt! clapt! – você está exatamente onde desejou!
Não acredito em sorte e azar. Creio em ação e reação.
Por isso, menos! Menos é mais.
Tenha calma. Autocontrole.
E se conseguir controlar seus impulsos, me ensina!
Tudo são experiências para o nosso melhor, mesmo quando as evidências comprovam que não. Mas é errando que se aprende, e é caindo, a se levantar.
Se não sabe brincar, não desce pro play.  Playgraound é pros fortes.
Vai dormir...
Está aí! Agora entendi o que minha mãe dizia com “vai dormir pra crescer”.
Bons sonhos e durma bem. Amém.

*Jeanine de Moraes

( ... )

Pensamento fragmentado, parte de "QUEM SOU EU?", postado aqui no Blog: 
www.portaeretrato.blogspot.com.br/2015/11/quem-sou-seu.html



QUANDO FOI A ÚLTIMA VEZ?

Se soubéssemos quando seria a última vez de qualquer coisa, será que faríamos diferente?
Imagine-se cego. Hoje é a última vez que você vai enxergar. O que você faria?
E despedir-se para sempre de alguém?
Imagine ficar com aquela vontade do abraço, do beijo, do cheiro...
Ah! se soubéssemos que aquela situação – tão boba – fosse acabar com uma grande história, seja ela de amor ou amizade.
Cada um com seus dramas. Cada um com suas mágoas. Puro egoísmo.
Como é mais fácil observar e avaliar a vida de outrem, do que a nossa.
Como é difícil mudar velhos (e ruins) hábitos. Como é difícil assumirmos nós mesmos.
Essa é a ultima vez que eu me saboto. Procrastinação, então?! Aquele velho papo de “a partir de amanhã”, “começo na segunda-feira”, “ano que vem tudo será diferente” e blablablá...
Pra quem? Pra quem estamos mentindo? Pra nós mesmos.
Agora pense: quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?
Eu foi hoje. Agorinha. Acabei de assistir solita – na verdade Eu, Deus e alguns poucos desconhecidos – o filme “Beleza Oculta” no cinema.
Um filme romanticamente dramático, ou dramaticamente romântico, sobre a sensibilidade da vida que, como sempre, Will Smith transmite uma incrível emoção.
Se chorei? Bastante. Essa era minha intenção.
Eu sabia que um filme sobre um pai, que entra em depressão por perder a única filha de 6 anos com um câncer, seria incrivelmente emocionante.
Um filme sobre a morte, o tempo e o amor. Parei por aqui para não fazer spoiler.
Nem tudo na vida é como receita de bolo.
Cada um sabe da sua dor e tem seu tempo. O amor e a dor são imensuráveis.
O primeiro passo é dar o primeiro passo.
Fácil falar, né! Mas é difícil agir quando a vontade de ficar imobiliza.
38 anos, 20, 7, quase 2... Números, datas e referências jamais medirão momentos, quiçá uma vida.
Por isso, é preciso respeito. Respeite-se acima de tudo.
Escute o silêncio. Vá ao cinema com a melhor cia: você mesmo!
E quando o filme e a pipoca acabarem, saia da poltrona.
Seja o ator principal do seu filme.


 *Jeanine de Moraes

EU QUERO UM TEMPO



EU QUERO UM TEMPO
Eu quero um tempo só pra mim.
Preciso encontrar-me comigo mesma, unicamente a mim.
Quero um tempo pro ócio. O ócio é muito produtivo sim.
Quero um tempo onde a esposa, a dona de casa, a mãe, a filha e funcionária responsável possa ser apenas eu.
Quero ser alguém sem nome ou sobrenome.
Alguém que não precisa pentear o cabelo e de muito menos maquiagem.
Quero ser aquela pessoa que coloca qualquer trapo velho, ou melhor, que tira lá do armário aquele abrigo velho, feio e até furado, mas tão confortável...
Ahhhhh!
É pedir demais?
Obrigada. De nada.

* Jeanine de Moraes